Monthly Archives: Abril 2013

Livros que Viraram Filmes – O Caçador de Pipas

“Pode ser injusto, mas o que acontece em poucos dias, às vezes até uma única vez,

pode alterar o rumo da vida inteira…” 

– Khaled Hosseini em O Caçador de Pipas, p. 145.

Considerado um dos maiores sucessos da literatura dos últimos tempos, o romance O Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini traz a história de Amir e Hassan, dois amigos que passaram sua infância no Afeganistão na década de 1970. Os dois pertenciam a realidades sociais bastante diferentes, Amir, que fazia parte de uma família rica, comete um ato de traição contra seu amigo Hassan que marcará suas vidas para sempre. Vinte anos após sair do Afeganistão fugindo da invasão soviética, Amir retorna para seu passado e terá que enfrentar toda a culpa que carregou durante anos.

Em 2007 o livro O Caçador de Pipas teve sua história adaptada para o cinema e foi  dirigido por Marc Forster. Veja o trailer abaixo:


Empreste o livro O Caçador de Pipas na  Biblioteca Padre Elemar Scheid e conheça todos os detalhes desta emocionante história!

Anúncios
Categories: Literatura, Livros/Filmes, Recomendação | Deixe um comentário

28/04 – Dia Mundial da Educação

Imagem

A data foi escolhida pois em 28 de abril de 2000, 180 países participantes da Cúpula Mundial de Educação, em Dakar –  Senegal, assinaram um documento se comprometendo a não poupar esforços, políticos e financeiros, para que a Educação chegasse a todas as pessoas do planeta até o ano de 2015.

Entre vários significados para a palavra educação no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, encontramos: “aplicação dos métodos próprios para assegurar a formação e o desenvolvimento físico, intelectual e moral de um ser humano; pedagogia, didática, ensino”, e “conhecimento e observação dos costumes da vida social; civilidade, delicadeza, polidez, cortesia”.

A educação pode ser classificada em três tipos: formal, não formal, e informal. Formal é a educação recebida na escola, que é uma instituição organizada e formalizada, com o objetivo de transmitir conhecimentos. A educação não formal se refere ao conjunto de valores e conhecimentos transmitidos por instituições humanas extraescolares, como ONGs e religiões. Já na educação informal, os valores e conhecimentos são transmitidos de forma natural, entre pessoas, famílias e grupos sociais. A informal é a que origina e sustenta as outas duas.

Dia 23/04 é o Dia Nacional da Educação de Surdos, data surgida como forma de conscientização e cidadania. Precisa-se entender a surdez, e as outras necessidades especiais, tratando-as como algo normal, especialmente no que diz respeito à educação digna e à interação social. E não só a escola, mas também a família é importante neste processo. Ter um eficiente canal de comunicação e respeitar a característica própria destas crianças são o que fortalecem seus laços afetivos, sociais e emocionais.

É por meio da educação que conhecimentos, valores e costumes são passados de uma geração a outra. Uma boa educação é a base de uma nação soberana e evoluída. O educador consciente e crítico é um ator de transformação. Parabéns a vocês – pais, professores, mestres, e amigos – que a todo momento estão ensinando!

Categories: Datas Comemorativas | 3 comentários

Dica de Leitura – Feliz por Nada

Imagem

Este livro reúne 85 crônicas publicadas por Martha Medeiros, entre 2008 e 2011 nos jornais O Globo e Zero Hora. A maioria dos textos teve como “gatilho” algum acontecimento da vida da autora: um livro que leu, uma conversa com amigos num restaurante, um filme, uma foto encontrada por acaso na internet. Martha aborda temas muito diversos e ao mesmo tempo muito próximos do leitor: o amor, a família, a amizade, Deus, romances antigos e novos, sobre se perder e se reencontrar, do que a vida oferece e que muitas vezes se deixa passar. Ela escreve como uma amiga sincera, e materializa as angústias e os anseios dessa sociedade pós-tudo, acuada sob o limitador do tempo. É um livro leve, que prende. Tem bom humor inteligente, e faz o leitor refletir e se divertir ao mesmo tempo. O leitor ri, se identifica com alguma coisa, ou lembra de alguém.

Segue um trecho da crônica que deu título ao livro:

Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.

“Feliz por Nada” faz parte do acervo da Biblioteca Padre Elemar Scheid. Boa leitura!

Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve. (Martha Medeiros)

Categories: Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

23/04 – Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor

Imagem

O dia foi criado na XXVIII Conferência Geral da UNESCO, em 1995, para a promoção do prazer da leitura, da publicação de livros e da proteção dos direitos do autor. Essa data foi escolhida pois em 23 de abril nasceram e morreram alguns escritores famosos, como Miguel de Cervantes, William Shakespeare, Maurice Druon e Vladimir Nabokov.

A celebração propõe encorajar as pessoas, principalmente os mais jovens, “a descobrir o prazer da leitura e a respeitar a obra insubstituível daqueles que contribuíram para o progresso social e cultural da Humanidade” (UNESCO).

Todos os anos, a UNESCO e três organizações internacionais nomeiam uma cidade como Capital Mundial do Livro. O título é dado em reconhecimento à qualidade dos programas de promoção do livro e da leitura na cidade, e dedicado a toda a indústria do livro. Esse ano é Bangcoc, capital da Tailândia.

Por todo o mundo esse dia é comemorado de diversas formas.

Direito Autoral

O Direito do Autor, reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos do Homem, é uma garantia de defesa do patrimônio e dos valores culturais. A proteção dos direitos autorais é uma forma de se evitar que grandes idéias e criações sejam descredibilizadas pela pirataria, que se caracteriza pelo roubo de idéias em benefício próprio. Os direitos autorais possibilitam que os autores, de todas as áreas, permaneçam estimulados pelo reconhecimento de seus esforços e da beleza de suas obras, e continuem trabalhando. 

Imagem

História do Livro

Na história do livro há uma grande quantidade de inovações realizadas por diversos povos, com o intuito de gravar o conhecimento e passá-lo de geração em geração.

Na Antiguidade, as gravações eram feitas em pedras ou tábuas de argila. Surgiu o papiro, e depois o pergaminho. O “volumen” foi trocado pelo códex (ou códice), surgido na Grécia como uma forma de codificação das leis. Essa nova forma fez com que o livro começasse a ser visto com um objeto, uma obra.

No final da Idade Média, outra invenção foi de extrema importância para a difusão dos livros: a impressão. No início, o conteúdo de cada página era gravado em blocos de madeira, que após serem mergulhados na tinta, eram colocados sobre o papel, produzindo várias cópias. A invenção da máquina impressora de tipos móveis já havia ocorrido na China por Pi Sheng, e, segundo alguns historiadores, a “prensa” existia também em outras partes do mundo. Johannes Gutenberg criou um processo de impressão em série, fazendo com que novos livros surgissem com mais rapidez, inovando o processo, e dando início à revolução cultural moderna. O italiano Aldus Manutius também foi uma figura importante, modernizando o projeto tipográfico, hoje conhecido como design editorial.

No final do século XX surgiu o livro eletrônico, que vem ganhando bastante espaço.

Imagem

É impossível falar do livro e do autor sem falar do leitor. Essa tríade – livro, autor, leitor – é homenageada hoje, proclamando a importância do livro, o direito do autor de ser reconhecido pela sua obra e o direito do leitor de ter acesso a ela.

Categories: Datas Comemorativas | 3 comentários

Exposição – A Arte de Recriar

Venha prestigiar a exposição A Arte de Recriar, da artista Solange Rosa!

As obras estarão expostas na Biblioteca Padre Elemar Scheid – Unidade Jaraguá do Sul, de 18 de Abril a 10 de Maio.

convite (1)

Categories: Exposições | Deixe um comentário

18/04 – Dia Nacional do Livro Infantil

Hoje, 18 de abril, comemoramos o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi criada em homenagem à Monteiro Lobato, pai da literatura infantil no Brasil.

Imagem

José Bento Renato Monteiro Lobato nasceu no dia 18 de abril de 1882, em Taubaté. Foi alfabetizado pela mãe, e logo despertou o gosto pela leitura. Leu todos os livros infantis da biblioteca de seu avô, o Visconde de Tremembé. Já cedo mostrava seu temperamento irrequieto: recusou-se fazer a primeira comunhão.

Monteiro Lobato casou-se com Maria Pureza da Natividade, em 1908, e com ela teve quatro filhos: Marta, Edgar, Guilherme e Rute.

Formou-se em Direito e atuou como promotor público até se mudar para uma fazenda, herança deixada pelo avô. Lobato passou a publicar seus primeiros contos em jornais e revistas. Publicou duas cartas polêmicas, uma sobre o homem do campo – depois escreve “Urupês”, onde o personagem “Jeca Tatu” aparece -, e outra criticando a exposição de Anita Malfatti – Lobato era contra o modernismo e via com desconfiança a influência das vanguardas europeias. Era um nacionalista convicto.

Em uma época em que os livros brasileiros eram editados em Paris ou Lisboa, e impressos em Portugal, Lobato inicia o movimento editorial brasileiro. Em 1918, fundou a primeira editora brasileira: “Monteiro Lobato e Cia”.

Escreveu mais de 20 livros infantis. Tudo começou com a criação da história “A Menina do Nariz Arrebitado”, em 1921. Como continuidade, surgiu o maior sucesso da literatura infantil até hoje: O Sítio do Picapau Amarelo. Misturava realidade e imaginação em suas histórias. Emília é o personagem alter-ego de Lobato. A boneca de pano se transforma em gente aos poucos. Ela evolui, interfere na sociedade, é crítica, curiosa e esperta.

O autor tinha uma visão além do seu tempo. A criança, para a sociedade, não passava de um adulto em miniatura, mas ele reconheceu que as crianças são os adultos de amanhã, e que então, para se mudar a sociedade, era necessário falar com as crianças. Não para elas, mas por e com elas.

Inovou também na questão da linguagem. Usava uma prosa moderna, com linguagem coloquial e objetiva, se aproximando do público. Brincava com a língua, criando novas palavras ou dando novo sentido para palavras já existentes.

Em 1927 Monteiro Lobato foi nomeado adido comercial nos Estados Unidos, onde permaneceu por quatro anos. Quando regressou ao Brasil, chegou com mais uma crença: acreditava nas riquezas naturais do país e na sua capacidade de produzir petróleo. Foi um dos maiores defensores de uma política que entregasse a extração do petróleo em solo brasileiro à iniciativa privada. Enviou uma carta ao presidente Getúlio Vargas e acabou detido no presídio Tiradentes. Foi preso em novamente em 1941 pelo mesmo motivo. Esta luta deixou-o pobre e doente.

Lobato morreu no dia 4 de julho de 1948, aos 66 anos, vitimado por um derrame. Deixou um legado de personagens que ficarão para sempre impregnados em todos que tiveram e que terão contato com as histórias desse grande autor.

Imagem

Que tal dedicar um tempo para ler para crianças? A Biblioteca Padre Elemar Scheid tem vários livros infantis, inclusive de Monteiro Lobato.

Para os que desejam conhecer mais sobre a vida e obra de Lobato, a Biblioteca também dispõe de alguns materiais, entre eles uma biografia completa intitulada “Monteiro Lobato: furacão na Botocúndia”.

“Um país se faz com homens e com livros” (Monteiro Lobato)

Categories: Literatura Infantil | 3 comentários

Dica de Leitura – A vida na porta da geladeira

Imagem

O livro retrata o relacionamento entre uma mãe- obstreta – e uma filha adolescente – estudante e babá. As duas moram juntas, mas pouco se vêem e usam a geladeira como forma de se falarem, deixando bilhetes uma para a outra. Os recados vão desde cobranças banais até revelações tocantes por parte das duas. É um ano decisivo para elas: a mãe passa por um penoso tratamento de câncer de mama.

Cada página do livro é um dos bilhetes. Tem momentos em que o leitor ri, chora, se emociona, e até sente raiva por tantos desencontros. Mesmo assim, percebe-se cumplicidade e intimidade, e amor entre as duas.

A história é comovente, e revela a importância encontrarmos tempo para as pessoas que amamos. Também nos faz lembrar que podemos dizer muito em poucas palavras, basta fazê-lo com carinho.

Imagem

(Página 33)

Imagem

(Página 137)

A Biblioteca Padre Elemar Scheid tem esse livro em seu acervo. Boa leitura!

Categories: Literatura, Recomendação | 1 Comentário

Dica de Leitura – Marina

Marina – Carlos Ruiz Zafón

Imagem

            Óscar Drai é um menino de quinze anos que vive em um orfanato de Barcelona. Nas horas livres gosta de passear pelas ruas da cidade, e se encanta com a arquitetura dos casarões. Um dia, Óscar resolve explorar um casarão que havia chamado sua atenção, acreditando que ninguém morasse nele. Quando entrou, duas coisas o atraíram: o som de uma bela voz feminina cantando e um relógio de bolso antigo e quebrado. Uma inesperada presença assusta Óscar, ele foge, levando o relógio. Dias depois, resolve retornar para devolver o relógio, e assim conhece Marina, que vive na casa com seu pai, Gérman. Óscar passa a visitá-los com frequência, e surge uma relação de afeto e amizade entre eles, parecendo uma família.

            Um dia, Marina leva Óscar a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois resolvem segui-la, querem desvendar o mistério que a ronda. A cada capítulo, novas pistas e personagens da obscura história de um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona, e que teve um fim trágico com sua bela esposa. Pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Óscar e Marina, que partem em busca da verdade, ao mesmo tempo que a verdade vai ao encontro deles. Eles passam por palacetes e estufas abandonadas, lutam contra manequins vivos e se defrontam inúmeras vezes com o mesmo símbolo – uma mariposa negra.

            A história é narrada do ponto de vista de Óscar. “Marina” possui toques sobrenaturais e personagens fortes e profundos. Um livro que faz o leitor não parar de ler, acompanhando o desenrolar da história para desvendar todo o mistério.

Você se interessou? O Livro “Marina” faz parte do acervo da Biblioteca Padre Elemar Scheid. Boa leitura!

Categories: Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

Feira do Livro de Joinville

Entre os dias 03 e 14 de Abril, acontece a 10ª edição da Feira do Livro de Joinville!

Com diversos espaços para editoras, livrarias e sebos, a Feira ainda conta com uma programação diversificada para o visitante, que poderá conferir palestras, sessões de autógrafo, lançamentos de livros, apresentações artísticas, peças teatrais e muitas outras atrações.

A Feira acontece no Complexo do Centreventos Cau Hansen e está aberta para visitação de Segunda a Sábado das 9h às 21h, e Domingos das 10h às 19h.

Para maiores informações acesse o site da  Feira do Livro de Joinville clicando aqui! 

Cartaz Feira do livro

Categories: Eventos | Deixe um comentário

Exposição – O Rosto Materno de Deus

Venha visitar a exposição O Rosto Materno de Deus. A mostra sobre o Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida  é aberta a comunidade e ficará exposta na Biblioteca Padre Elemar Scheid – Unidade Jaraguá do Sul, até o dia 15 de Abril!

Prestigie!

convite

Categories: Exposições | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: