Monthly Archives: Fevereiro 2016

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 05

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Exposição – “Nem todo gato é pardo”

A Biblioteca Padre Elemar Scheid, está com a mostra “Nem todo gato é pardo”, da artista Marisa Kaufmann, que também foi professora na instituição. A exposição é uma coletânea de trabalhos centralizados na imagem do gato, mas que gera uma reflexão sobre o comportamento humano. O gato foi escolhido como suporte pela importância dada a ele pelos humanos desde os tempos antigos. A exposição vai até o dia 18/03. Prestigie!

expo 2016 marisa

Categories: Exposições | Deixe um comentário

Dica de Autores – Umberto Eco

umberto eco

Umberto Eco foi escritor, professor e filósofo. Nasceu em 1932, na Itália. Estudou filosofia, e dedicou-se inicialmente ao estudo da estética medieval, especialmente aos textos de S. Tomás de Aquino.

A partir da década de 1960, estudou as relações entre a poética contemporânea e a pluralidade de significados. Seu livro “Apocalípticos e integrados”, de 1964, faz uma avaliação da cultura de massa, outro tema ao qual se dedicou. Nos anos 1970, dedicou-se quase exclusivamente à semiótica. Também se voltou para a literatura popular, publicando “O super-homem de massa”, em 1978.

A obra que consagrou Umberto Eco foi “O nome da rosa”, publicado pela primeira vez em 1980, e que recebeu adaptação para o cinema. Seus livros mais recentes são “O Cemitério de Praga” e “Número Zero”. O escritor faleceu no dia 19 de fevereiro de 2016, na Itália. Eco é considerado um dos grandes nomes da narrativa italiana.

A Biblioteca Católica SC possui em seu acervo livros de Umberto Eco. Boa leitura!

002

“A trama é protagonizador por Baudolino – adolescente, criativo e mentiroso que conquista o imperador Federico Barbarossa e se torna seu filho adotivo – e Niceta Coniate, personagem inspirado em um historiador e orador que viveu na corte de Constantinopla. Entre monstros que habitam o inconsciente medieval – como quimeras, unicórnios e dragões -, a história sofre reviravoltas inesperadas, a cada vez que Baudolino conta um pedaço de sua vida. BAUDOLINO é uma aventura picaresca, um romance histórico no qual emergem os problemas da Itália contemporânea. Com sua narrativa fantástica, teatro de invenções lingüísticas, Umberto Eco celebra a força do mito e da utopia.”

003

“Personagens históricos em uma delirante trama fantástica. Trinta anos após O nome da rosa, Umberto Eco nos envolve, mais uma vez, em uma narrativa vertiginosa, na qual se desenrola uma história de complôs, enganos, falsificações e assassinatos, em que encontramos o jovem médico Sigmund Freud (que prescreve terapias à base de hipnose e cocaína), o escritor Ippolito Nievo, judeus que querem dominar o mundo, uma satanista, missas negras, os documentos falsos do caso Dreyfus, jesuítas que conspiram contra maçons, Garibaldi e a formação dos Protocolos dos Sábios de Sião.”

007

“A Ilha do Dia Anterior conta a história do jovem piemontês Roberto Pozzo de San Patrizio, que, durante uma missão secreta a serviço do cardeal Mazarino, tem seu navio Amarilli naufragado por uma forte tempestade nos mares do sul. Após dias sobre uma tábua salvadora, Roberto defronta-se com um navio deserto, o Daphne, abarrotado de objetos antigos, metais, obras de arte, e dá início a uma jornada de volta à época barroca, uma aventura solitária, encenada na memória do rapaz.”

010

“Durante a última semana de novembro de 1327, em um mosteiro franciscano italiano, paira a suspeita de que os monges estejam cometendo heresias. O frei Guilherme de Baskerville é, então, enviado para investigar o caso, mas tem sua missão interrompida por excêntricos assassinatos. A morte, em circunstâncias insólitas, de sete monges em sete dias, conduz uma narrativa violenta, que atrai por seu humor, crueldade e sedução erótica.”

011

“Um grupo de redatores, reunido ao acaso, prepara um jornal. Não se trata de um jornal informativo; seu objetivo é chantagear, difamar, prestar serviços duvidosos a seu editor. Um redator paranoico, vagando por uma Milão alucinada (ou alucinado numa Milão normal), reconstitui cinquenta anos de história sobre um cenário diabólico, que gira em torno do cadáver putrefato de um pseudo-Mussolini. Nas sombras, a Gladio, a loja maçônica P2, o assassinato do papa João Paulo I, o golpe de Estado de Junio Valerio Borghese, a CIA, os terroristas vermelhos manobrados pelos serviços secretos, vinte anos de atentados e cortinas de fumaça — um conjunto de fatos inexplicáveis que parecem inventados, até um documentário da BBC mostrar que são verídicos, ou que pelo menos estão sendo confessados por seus autores.”

013

“Causabon, Belboe Diotallevi são redatores da editora Garamond, na Milão do início dos anos 80. Cansados da leitura e releitura de incontáveis manuscritos de ciências ocultas, eles acabam encontrando os indícios de um complô que teria surgido em 1312- quando Felipe, o Belo, supriu a Ordem dos Templários- e atravessando, oculto, toda a historia do planeta até o final do século XX. Os agentes e beneficiários do complô, seriam os templários e os rosas cruzes, cujo o objetivo era dominar o mundo. A partir deste plano, os três redatores inventam, como uma brincadeira, uma trama fantasiosa. Mas o inesperado acontece e alguém começa os levar a sério.”

 

livros eco

Categories: Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 04

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Convite para artistas

A Biblioteca Padre Elemar Scheid dispõe de um espaço para exposições de arte. O agendamento das mostras já está sendo feito, se você é artista ou conhece algum, entre em contato conosco!

Convite

Categories: Exposições | Deixe um comentário

Dica de leitura – A casa torta

a casa torta

Aristide Leonides tinha mais de 80 anos e era dono de uma grande fortuna, provinda de negócios não ilícitos, mas sempre escapando das leis, mudando de atividade quando necessário. Sempre sabia usar seu dinheiro, nunca o perdendo. Morava em uma mansão com seus filhos e netos, e sua segunda esposa.

Uma de suas netas, Sophia, conheceu Charles em uma guerra, no Egito. Os dois tornaram-se amigos e se apaixonaram. Logo que ele retornou a Inglaterra, marcou um encontro com ela. Em seguida soube do falecimento de Aristide. Sophia achava melhor não casar logo com Charles e os dois resolveram esperar até que fosse tudo resolvido, pois suspeitava-se que o avô fora envenenado.

O pai de Charles era comissário-assistente da Scotland Yard. O rapaz passou a acompanhar Taverner, o inspetor-chefe que estava responsável pelo caso. A intenção era que Charles conhecesse as pessoas da casa por dentro. Conversando com elas, tendo acesso livre à casa, o rapaz realmente conseguiu algumas informações a mais, e observou muito as pessoas. Com dicas principalmente de seu pai, Charles conseguiu ajudar.

Muitos eram os suspeitos, e cada vez a atenção voltava-se para algum deles. Parecia que o caso nunca seria resolvido. Às vezes acontecia ou aparecia alguma informação inprevisível. Quem seria o assassino? E por qual motivo o teria feito? A resposta é surpreendente!

O livro foi publicado pela primeira vez em 1949, e é considerado pela autora como um dos seus melhores livros. “A casa torta” faz parte do acervo da Biblioteca Padre Elemar Scheid. Boa leitura!

Categories: Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 03

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Dica de Leitura – Frankenstein

00004B16

Victor Frankenstein nasceu em uma família abastada e muito amorosa. Sempre teve muita sede de conhecimento, especialmente sobre as ciências naturais. Aos 17 anos, próximo de ir para a universidade, sua mãe faleceu. Victor teve muito êxito nos estudos, e dois anos depois de ter chego à universidade, começou a se questionar sobre o princípio da vida. Após algum tempo, o rapaz descobriu como dar vida a uma matéria morta.

Frankenstein resolveu que faria um homem, mas de proporções largas e com 2,40 de altura. Pôs-se a buscar o material e a montar o ser. Finalmente, o “monstro” ficou pronto, porém, não saíra belo como desejado. Cheio de horror, o rapaz foi para seu quarto e depois de um tempo adormeceu. Acordou depois de um pesadelo, e deparou-se com o ser em seu quarto, o encarando. Ele fugiu novamente, e passou o restante da noite escondido no pátio. Clerval, amigo de Victor, chegou de viagem na manhã seguinte. O monstro desapareceu, e o rapaz caiu doente. Achou que não voltaria a ver sua criatura, o que o deixou tranquilo.

Contudo, depois de algum tempo, recebeu uma carta de seu pai, avisando da morte de seu irmão mais novo. Victor voltou à cidade, mas chegou à noite e não havia como entrar. Enquanto andava nas cercanias, viu a criatura que ele havia feito. Percebeu, então, que havia sido ele o assassino de seu irmão. Quis matá-lo, mas não conseguiu o alcançar. Tempos depois, criador e criatura se encontram. O monstro contou tudo o que aconteceu nos anos em que ficou longe, e tentou um acordo com Victor: se fizesse uma companheira como ele, alguém que pudesse aceitá-lo, o monstro iria para longe, viver com sua semelhante. Será que Victor fez uma versão do monstro? Ou houve ainda muita destruição e horror?

O livro foi publicado pela primeira vez em 1818, e desde então recebeu inúmeras adaptações para as mais diversas mídias. “Frankenstein” faz parte do acervo da Biblioteca Católica SC. Boa leitura!

 

Categories: Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

Dica de Autores – Mário Sérgio Cortella

Cortella

Mário Sérgio Cortella é filósofo e escritor. Nasceu em 05 de março de 1954, em Londrina, PR. Formou-se em Filosofia, tem mestrado e doutorado em Educação. Na década de 1990, ocupou o cargo de Secretário Municipal de Educação de São Paulo. Trabalhou vários anos como professor. É palestrante e consultor nas áreas de ética, educação, gestão do conhecimento e inovação.

A Biblioteca Católica SC tem, em seu acervo, alguns livros do Cortella. Boa leitura!

001

Descartes: a paixão pela razão

“Este livro fala sobre Descartes, ele tinha uma verdadeira paixão pela Razão. Só que essa paixão não caiu do céu, ela tem muito a ver com a época em que vivia o filósofo. Tem muito a ver com a necessidade de uma nova visão sobre o mundo e sobre a vida,que surgiu na Europa do século XVII. Tem muita a ver com a vida do próprio Descartes. que surgiu na Europa do século XVII. Tem muita a ver com a vida do próprio Descartes.”

002

A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos

“Este livro tem como objetivo central analisar a questão do conhecimento no interior da escola, do ponto de vista de alguns de seus fundamentos epistemológicos e políticos, de modo a subsidiar os educadores na reflexão sobre o sentido social concreto do que fazem.”

003

Liderança em foco

“Todos nós somos líderes em determinados momentos, assim como somos liderados em muitos outros. Embora seja possível viver essa experiência de modo irrefletido, a consciência de suas implicações pode fazer a diferença entre alcançar ou não os objetivos traçados. Este livro procura exatamente mostrar o que nos leva a reconhecer uma liderança como legítima, os principais fatores de motivação de um grupo, além de lançar luz sobre como unir as pessoas em prol de uma causa comum. Mediante um diálogo cativante, Eugenio Mussak e Mario Sergio Cortella despertam nossa atenção para aspectos essenciais da boa liderança – papel que pode ser desempenhado com entusiasmo por qualquer um de nós.”

004

Não espere pelo epitáfio-: provocações filosóficas

“Sensibilidade e vida. A presente obra provoca a curiosidade e aborda questionamentos comuns ao humano contemporâneo. Construído com pensatas filosóficas sobre temas presentes no cotidiano da vida, este livro aguça os sentidos e induz à tomada de atitude positiva no desejo de se encontrar a cada dia.”

005

Não nascemos prontos!: provocações filosóficas

“Este livro inspirador nos desafia a aprender sempre, olhando o mundo e a nós mesmos sob uma nova perspectiva. O autor mostra que quando estamos insatisfeitos somos capazes de inovar, mudar e nos construir aos poucos, pois o grande desafio humano é não se satisfazer com as coisas como estão. Quem assume este compromisso constrói uma existência significativa e gratificante.”

006.jpg

Não se desespere!: provocações filosóficas

“Não se desespere nos convida a ir em busca do bem-viver. Acolher instantes deliberados de paz interior e sentir a prazerosa sensação mental, ainda que provisória, da aparente suspensão do fluir do tempo, permitindo um distanciamento das aflições cotidianas e uma recusa momentânea às perturbações que o existir nos oferta. Afinal, a humanidade acumulou conhecimentos e experiências ao longo de milênios, que a Ciência, a Filosofia, a Arte e a Religião expressam em forma de orientações para o nosso viver diário e de respostas às indagações centrais de nossa existência. Essas fontes nos sugerem como atitude sábia a recomendação: Não se desespere!”

007

Pensar bem nos faz bem! pequenas reflexões sobre grandes temas : 2 família, carreira, convivência, ética

“Religião, educação, família, carreira e ética, são temas bastante discutidos e relevantes na sociedade atual, e pode não parecer, mas eles têm ligação entre si. Tendo como inspiração esses temas, o autor Mario Sergio Cortella elaborou seu mais novo trabalho, “Pensar bem nos faz bem! – Pequenas reflexões sobre grandes temas”. Os livros são baseados nas falas diárias do autor na rádio CBN e trazem o olhar da Filosofia sobre temas do quotidiano.”

008

Política: para não ser idiota

“Devemos conclamar as pessoas a se interessarem pela política do cotidiano ou estaríamos diante de algo novo, um momento de saturação do que já conhecemos e maturação de novas formas de organização social e política? Este livro apresenta um debate inspirador sobre os rumos da política na sociedade contemporânea. São abordados temas como a participação na vida pública, o embate entre liberdade pessoal e bem comum, os vieses de escolhas e constrangimentos, o descaso dos mais jovens em relação à democracia, a importância da ecocidadania, entre tantos outros pontos que dizem respeito a todos nós. Além dessas questões, claro, esses pensadores de nossa realidade apontam também algumas ações indispensáveis, como o trabalho com política na escola, o papel da educação nesse campo, como desenvolver habilidades de solução de conflitos e de construção de consensos. Enfim, um livro indispensável ao exercício diário da cidadania.”

009

Qual é a tua obra?: inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética

“’A idéia de trabalho como castigo precisa ser substituída pelo conceito de realizar uma obra… Enxergar um significado maior na vida aproxima o tema da espiritualidade do mundo do trabalho’.Depois do sucesso de ‘Não Nascemos Prontos’ e ‘Não espere pelo epitáfio’ Mário Sergio Cortella publica, também pela Editora Vozes, um texto envolvente sobre as inquietações do mundo corporativo Neste livro o autor desmistifica conceitos e pré-conceitos, e define o líder espiritualizado, como aquele que reconhece a própria obra e é capaz de edificá-la, buscando incessantemente o significado das coisas.”

Categories: Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 02

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: