Monthly Archives: Abril 2016

01/05 – Dia da Literatura Brasileira

literatura brasileira

Nesse domingo comemoraremos o Dia da Literatura Brasileira! A data foi escolhida como homenagem a José de Alencar, nascido em 1º de maio de 1829. O autor foi o primeiro a retratar em suas obras o país como ele era, e suas principais referências eram o índio e o sertão nordestino.

Em comemoração à data, nossas sugestões são de livros brasileiros que são clássicos. Boas leituras!

001 o guarani

O guarani (José de Alencar)

“Esta história de amor e aventura se passa quando o Brasil ainda era uma colônia de Portugal. Num cenário próximo às matas verdejantes, vive Cecília, a heroína do romance. Filha de um fidalgo português, ela leva uma existência de princesa, protegida pela família. O índio Peri, um guarani alto e forte, tem adoração pela moça. Porém, uma série de acontecimentos coloca a vida dos dois em perigo.”

002 dom casmurro

Dom Casmurro (Machado de Assis)

“Capitu, Bentinho e Escobar formam o triângulo amo­roso mais conhecido da literatura nacional – com a condição de que acreditemos no narrador de um dos mais polêmicos romances brasileiros. Quem conta a his­tória de Dom Cas­murro é o próprio Bento Santiago, agora um senhor maduro que relembra a infância passada no bairro carioca de Mata­cavalos, quando conheceu o amor de sua vida: Capitu. Com a ironia que lhe é característica, Machado revolucionou o romance de amor, deixando para os leitores um dos grandes enigmas da nossa cultura: afinal, Capitu traiu ou não traiu?”

003 romanceiro da inconfidencia

Romanceiro da inconfidência (Cecília Meireles)

“Na segunda metade do século XVIII, na cidade de Vila Rica (atual Ouro Preto), um grupo conspirou para tornar a região independente de Portugal. Corriam o mundo idéias de revolução e liberdade, mas a metrópole intensificava o controle fiscal, à medida que as jazidas de ouro de Minas Gerais davam sinais de esgotamento. Em 1789 esse grupo foi delatado, a Coroa fez uma devassa, prendeu e julgou os revoltosos por crime de inconfidência. Eles foram condenados à morte, e Tiradentes – um dos líderes – foi enforcado e esquartejado.  Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles, é a obra literária que recuperou o episódio e contribuiu para dar-lhe um novo lugar na memória nacional. Cecília – uma das maiores poetas brasileiras -, por meio de versos narrativos imbuídos de seu estilo único, a um só tempo coloquial e altamente poético, dá voz aos fantasmas do passado. Preferindo os dramas humanos às discussões políticas, ela conta o que foi ouvido, sentido e pensado nas ruas e casas mineiras, e faz Vila Rica se universalizar e se eternizar. Trata-se, como diz a autora, de ‘uma história feita de coisas eternas e irredutíveis: de ouro, amor, liberdade, traições…’”

004 grande sertão

Grande sertão: veredas (João Guimarães Rosa)

“Nesta obra de Guimarães Rosa, o sertão é visto e vivido de uma maneira subjetiva e profunda, e não apenas como uma paisagem a ser descrita, ou como uma série de costumes que parecem pitorescos. Sua visão resulta de um processo de integração total entre o autor e a temática, e dessa integração a linguagem é o reflexo principal. Para contar o sertão, Guimarães Rosa utiliza-se do idioma do próprio sertão, falado por Riobaldo em sua extensa e perturbadora narrativa. Encontramos em ´Grande Sertão-Veredas´ dimensões universais da condição humana – o amor, a morte, o sofrimento, o ódio, a alegria – retratadas através das lembranças do jagunço em suas aventuras no sertão mítico, e de seu amor impossível por Diadorim.”

005 capitães da areia

Capitães da areia (Jorge Amado)

“Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.”

Anúncios
Categories: Datas Comemorativas, Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

28/04 – Dia Mundial da Educação

2016.04.28 - Dia Mundial da Educação

No dia 28 de abril de 2000, representantes de quase 200 países se comprometeram a não poupar esforços para que a educação chegasse a todas as pessoas do planeta. A data então foi escolhida como o Dia Mundial da Educação.

Quer saber mais sobre a data? Clique aqui.

A Biblioteca Católica SC parabeniza a todos os educadores!

Categories: Datas Comemorativas | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 13

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

23/04 – Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor

Nesse sábado será comemorado o Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor. A data foi criada com o intuito de promover o prazer da leitura, a publicação de livros e a proteção dos direitos do autor. A cidade escolhida como Capital Mundial do Livro de 2016 é a Braslávia, da Polônia.

Quer saber mais sobre essa data? Clique aqui!

2016.04.20 - Dia Mundial do Livros e do Direito do Autor

Categories: Datas Comemorativas | Deixe um comentário

Livros que viraram filmes – Carrie: a estranha

carrie a estranha livro e filme

Carrie White tinha 16 anos e era desajustada socialmente. No colégio, todos a achavam estranha, e as meninas caçoavam dela. Um dia, após uma aula de educação física, depois do banho, vêem que tem um líquido vermelho escorrendo pelas pernas de Carrie. Ela achava que ia morrer de hemorragia, não sabia que era menstruação, e a turma começou a rir e a jogar absorventes nela. A professora apareceu, interrompeu, e ajudou a garota.

O pai de Carrie já havia falecido, e a mãe era uma religiosa fanática. A mãe coagia a moça a rezar por tudo, tudo era pecado, e a Carrie eram negadas muitas coisas. A garota era dotada de telecinética – capacidade de mover objetos com a mente -, e naquele dia do incidente na escola se deu conta disso. Treinou, e passou a utilizar como uma forma de não ser forçada pela mãe, e principalmente, de se vingar de suas colegas.

Sue, uma das meninas que lhe atiraram absorventes, arrependeu-se. Como forma de se desculpar, pediu ao namorado que convidasse Carrie para o baile de formatura. Sue e Tommy eram fortes candidatos para o rei e a rainha do baile. Carrie aceitou o convite, e fez seu próprio vestido. Estava linda. Ela e Tommy foram votados como rei e rainha. Contudo, Chris, uma das colegas da classe, havia preparado uma surpresa para o casal. As consequências que esse ato desencadeou tomaram uma proporção de grande terror.

A história de Carrie foi o primeiro livro de Stephen King a ser publicado, em 1974. Foi adaptado para o cinema em 1976. No ano de 1999 o filme recebeu uma sequência. Ocorreu uma refilmagem em 2002, e uma nova adaptação para o cinema em 2013. A história também virou musical, e tem referências em diversas mídias.  “Carrie: a estranha” faz parte do acervo da Biblioteca católica SC. Boa leitura!

Categories: Literatura, Livros/Filmes, Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 2016 12

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Dica de leitura – Madame Bovary

madame bovary

A história inicia contando o primeiro dia de Carlos Bovary na escola, um menino tímido e um tanto incompetente. Depois de adulto, tornou-se médico, e casou com uma senhora viúva, escolhida pela mãe dele.

Um dia, o médico foi tratar de um paciente em outra cidade, e encantou-se por Ema, filha do paciente. Ela era sonhadora, romântica, e acreditava nos amores felizes dos livros que lia. A esposa de Carlos acabou falecendo, e o médico, que sempre ia visitar seu paciente – embora não precisasse mais -, um dia, pediu a mão da moça em casamento.

Logo que se casaram, todas as ilusões dela foram desfeitas. O marido, apesar de amá-la, não correspondia com as expectativas, e era entediante. Nem mesmo o nascimento da filha deles, Berta, conseguiu trazer um pouco de alegria ao lar.

A moça sentia-se presa ao casamento, angustiada e frustrada. Na busca por felicidade, acabou por ter um amante, Rodolfo, com quem ia fugir, mas ele a abandonou. Depois, foi León, e ela perdeu-se completamente. Endividada e acuada, Ema não conseguiu ajuda para sair da situação. Desesperada, envenenou-se e faleceu. Carlos ficou tremendamente abalado.

O médico desfez-se de algumas coisas para saldar as dívidas. Um dia, descobriu as cartas dos amantes. De tanta amargura, acabou falecendo. A menina foi enviada para a casa da avó, que depois também faleceu. Ela ficou aos cuidados de uma tia, que a mandou trabalhar, para sobreviver.

A história era publicada inicialmente em capítulos, em um jornal. Foi publicado como livro em 1857, e causou em escândalo. O autor foi levado a julgamento, acusado de ofensa à moral e à religião, e foi absolvido. O livro deu passagem às aventuras psicológicas modernistas.

“Madame Bovary” faz parte do acervo da Biblioteca Católica SC. Boa leitura!

Categories: Literatura, Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas Porções de Leitura 11

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Dia Internacional e Dia Nacional do Livro Infantil

5.064814

No dia 02 de abril foi comemorado o “Dia Internacional do Livro Infantil”, em homenagem a Hans Christian Andersen. E no dia 18 de abril, será comemorado o “Dia Nacional do Livro Infantil”, em homenagem a Monteiro Lobato, considerado o pai da literatura infantil brasileira.

Hoje, nossas dicas são de alguns grandes  autores que, além de escreverem livros para adultos, também escreveram para crianças. Confira os títulos que temos no acervo da Biblioteca Católica SC:

adelia prado

Adélia Prado

Infantis: “Quando eu era pequena” e “Carmela vai à escola”

Adultos: “Bagagem”, “Contos mineiros”

pablo neruda

Pablo Neruda

Infantil: “Livro das perguntas”

Adultos: “Antologia poética de Pablo Neruda”, “Confesso que vivi: memorias”

julio cortázar

Julio Cortázar

Infantil: “Discurso do urso”

Adulto: “16 contos latino-americanos”

joão ubaldo ribeiro

João Ubaldo Ribeiro

Infantis: “Dez bons conselhos de meu pai”, “Vida e paixão de Pandonar, o cruel”

Adultos: “A Casa dos budas ditosos”, “O conselheiro come”, “Contos e crônicas: para ler na escola”, “O feitiço da ilha do pavão”, “Histórias pitorescas”, “Já podeis da pátria filhos”, “Miséria e grandeza do amor de Benedita”, “O Sorriso do lagarto”, “Viva o povo brasileiro”

mário de andrade

Mário de Andrade

Infantil: “Será o Benedito!”

Adultos: “Amar, verbo intransitivo”, “Os contos de Belazarte”, “Contos novos”, “De paulicéia desvairada a café”, “Macunaíma”, “Os melhores contos de Mário de Andrade”, “Poesias completas”, “Riacho doce”, “Táxi e crônicas no Diário Nacional”, “O turista aprendiz”

Quer saber mais sobre essas datas? Clique aqui e aqui.

A Biblioteca Católica SC tem em seu acervo vários livros infantis e infanto-juvenis. Incentive o hábito da leitura nas crianças! Boas leituras!

Categories: Datas Comemorativas, Literatura, Literatura Infantil, Literatura Infanto-Juvenil, Recomendação | Deixe um comentário

Pequenas Porções de Leitura

Pequenas porções de Leitura 2016 10

Categories: Porções de leitura | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: